Notícias

No dia 05 de novembro, a presença de Serra realizou a tradicional Caminhada pela Paz nas ruas dos bairros de Vila Nova de Colares e Feu rosa. Com o tema “Anunciando a Paz e Transformando a Vida”, percorremos diversas ruas dos nossos bairros pedindo paz para nossas famílias. A caminhada contou com a participação de 300 pessoas que caminharam cerca de 1,5km, realizando paradas em pontos estratégicos, com momentos de oração por nossas crianças e jovens que perderam a vida de forma violenta. A caminhada foi encerrada com uma Missa campal, Comunidade São Sebastião em Feu Rosa.

Na última quinta-feira, 10 de novembro,  foi realizado no Colégio São Miguel a Celebração Eucarística em Ação de Graças pela conclusão da 3ª série do Ensino Médio. A celebração foi presidida pelo Pe. Fernando Aguinaga, diretor titular do Colégio São Miguel. Foi um momento de muita alegria para nossos alunos, familiares, professores, equipe de coordenação e toda a comunidade educativa do Colégio São MIguel. Pe. Fernando lembrou que o processo de aprendizagem é uma experiência singular, construído na interação entre os alunos e os educadores. 

No final da celebração, as famílias e convidados fizeram a entrega dos envelopes com doações em dinheiro para a campanha solidária de Itaka Escolápios "Expedição Kamda". Nossos alunos também agradeceram aos professores e equipe São Miguel pela dedicação e carinho. A equipe São Miguel também agradece todas as famílias pela confiança e por fazerem parte de nossa institução. 
O fim do ano vai se aproximando, é tempo de celebrar as conquistas e agradecer a Deus pela caminhada. Parabéns turma da 3ª série do Ensino Médio!

Clique e veja mais fotos!

AOS MEMBROS DA ORDEM DOS CLÉRIGOS POBRES REGULARES

DA MÃE DE DEUS DAS ESCOLAS PIAS

Sala Consistório

Sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Bom dia e muito obrigado, Padre Geral, pelas suas palavras.

Vocês imaginaram que, depois de lhe ter enviado este documento, que não ia fazer um discurso, então perguntei ao Padre Pedro se falaria em espanhol ou Italiano, e ele me disse: "Quase todo mundo entende o castelhano".  Então, obrigado por vir, obrigado por trazer a família (...)  isso é lindo, uma congregação religiosa tem uma família que a rodeia, gente que trabalha, leigos, todos ... A família é um sinal de fecundidade e humanidade. Obrigado por terem vindo assim.

Três coisas, três palavras que coloquei na mensagem que eu as retorno agora para dizer duas ou três palavras e saudações. Educar, anunciar e transformar. Detenho-me na primeira: educar. Educar, neste momento, é muito sério. É um grande desafio, porque o pacto educacional, em geral, está quebrado. O pacto educacional - agora, eu estou muito influenciado por minha Pátria, mas vejo que, em todos os lugares, se vê mais ou menos o mesmo: escola, família e jovens - está quebrado. Então, precisa-se reconstruir esse pacto educativo, é fundamental isso. Educar, reconstruindo, de modo que inclua a família, necessariamente, hoje em dia, na educação, mas, na criança, podem-se recompor muitas coisas, muitas coisas.  Então, tratem de reabilitar o pacto educativo e cuidar dos professores - em muitos países eles são os mais mal pagos, em muitos países - nesse trabalho, também ajuda o reconhecimento do professor que dá a sua vida. Há professores que têm que trabalhar dois turnos para ter um salário digno. Aquele professor, quando chegar em casa, terá tempo para preparar aulas, de pensar e tudo isso. O diálogo entre a família e o professor, a família, a escola e a criança, esse diálogo triplo. Além disso, que a criança seja ativa na educação. Bem, reconstruir o pacto da educação é uma missão muito séria, que vocês deveriam ter: refaça o pacto.

Segundo: uma educação completa. Sair da herança que o Iluminismo nos deixou de que educar é preencher a cabeça de conceitos, não está certo? E quanto mais se conhece, melhor será a educação. Educar é fazer amadurecer a pessoa através das três linguagens: a linguagem das ideias, a linguagem do coração e a linguagem das mãos, e que haja harmonia entre as três, isto é, que nossos alunos sentem o que pensam e façam o que pensam e sentem. Essa é a harmonia da pessoa, educar a pessoa. Eu acredito que, se não educarmos assim, perdemos. Alguns pedagogos expressam isso de outra forma, mas vão ao mesmo: educar em conteúdos, hábitos e valores. É o mesmo, uma educação desse tipo, e acrescentaria que - e é a chave hoje em dia – a juventude tem que ser educada em movimento, a juventude quieta, hoje, não existe, e se não nos colocamos em movimento, eles vão colocar em movimento mil coisas, principalmente, os sistemas digitais que os põem em risco, nesta velocidade líquida e gasosa da nossa civilização - e o terceiro ponto que quero tocar – de mover as raízes para os meninos. As crianças hoje vêm sem raízes, não têm raízes, porque não têm tempo para arrojar raízes, desculpem, elas as têm, mas não assumem, porque não têm tempo para assumi-las, nãos as deixam crescer, não as deixam consolidar, porque vivem continuamente nessa liquidez de cultura, não é? Conheça as raízes. Jovens sem raízes é o que estamos vendo agora e o que fazemos, enxertos de raiz. Eu sempre vejo que é muito importante, me vem muito à mente e, sobretudo, inspirado - e eu digo isso com simplicidade, rezando - no profeta Joel quando ele diz: "O velho sonhará e os jovens vão profetizarão". Hoje, os jovens precisam conversar com idosos, é a única maneira de suas reencontrar suas raízes. Falar com os pais, sim, isso é fundamental, mas acima de tudo, hoje, a necessidade é que eles encontrem os antigos, os pais são o centro dessa sociedade líquida, que encontram os mais velhos. Por favor, tentem encorajar o diálogo entre avós e netos: "Não são os meninos...", não. Experiências eu tive muitas e outros que me dizem: Coloquem em movimento as crianças. Diga: "O que acha? Vamos tocar violão naquele lar de idosos". "Bem, sim, não ... " Então, eles não querem sair, porque ocorre que os mais velhos dizem: "Não, essa música, você sabe ...?" E eles começam a falar e as crianças ficam encantadas e os velhos começam a acordar e percebem que podem sonhar ainda. Por favor, concedo-lhe esta missão: tente incentivar - enquanto houver tempo, antes de partir - o diálogo entre jovens e velhos. Procurem mil maneiras, mil maneiras de fazê-lo, mas sempre em movimento, porque os ainda jovens não trabalham. Este é outro critério que deve ser levado em conta na educação e em tudo: os jovens quietos estão nas enciclopédias, na realidade, se desejam que um jovem receba algo de vocês, vocês devem fazê-lo em movimento.

Bem, então, nessa maneira de educar, é como anunciar e transformar, mas eu permaneço em educar com as coisas que eu disse. É por isso que fiquei sentado, porque não li um discurso; eu queria ser mais espontâneo. Muito obrigado e agora convido vocês a rezar uma Ave Maria à Virgem e também pedir a bênção de São Faustino. Causou-me diversão a forma como o pai do recém-nascido, o chileno, pediu o milagre: "Faça algo pequeno".

Ave Maria e Bênção Apostólica.

 

Fonte: http://w2.vatican.va

Áudio: Fala do Papa

Santo Padre:

Apresentamo-nos diante de Sua Santidade com profunda alegria e gratidão. Como Padre Geral da Ordem das Escolas Pias, agradeço sua gentileza ao nos receber em audiência e dedicar um pouco do seu tempo.

Santo Padre, quero apresentar-lhe este simples grupo escolápio. Aqui está a Congregação Geral da Ordem, todos os Superiores Maiores das várias Províncias e os delegados do Padre Geral. Ou seja, os religiosos que assumem o serviço de acompanhamento da Vida e Missão da Ordem, tentando fazê-lo em fidelidade à Igreja e ao nosso Santo Fundador, São José de Calasanz.

Mas, queremos apresentar-lhe outras pessoas que são muito importantes na vida de nossas Escolas Pias. Os membros das duas casas generalícias de Roma, que fazem variados serviços à Ordem; a Comunidade Geral da Congregação das Madres Escolápias, fundada por Santa Paula Montal, com a Madre Geral, Divina García; a Casa de Formação da Província Italiana; o Conselho Geral da Fraternidade Escolápia, que reúne mais de mil pessoas, leigos e religiosos, que compartilham o carisma de Calasanz, e também as pessoas que, com seu trabalho diário, tornam a nossa vida possível em nossa Casa Geral (cozinha, limpeza, gestão, manutenção, secretaria, arquivo, biblioteca, porteiro ...). Todos os trabalhos são importantes, e todos contribuem para a missão Calasância. É por isso que queríamos que nos acompanhassem e também recebessem a bênção de Sua Santidade. Com carinho especial, apresento-lhe dois jovens escolápios. Um deles, italiano, em breve irá fazer sua profissão solene e receberá o diaconato (Tommaso), e o outro será ordenado sacerdote em algumas semanas (Abilash). Peço-lhe uma bênção especial aos dois, Santo Padre.

Como Família Calasância, desejamos agradecer os ensinamentos de Sua Santidade, que tanto animam e orientam a vida consagrada. De forma especial, queremos agradecer ao dom do Ano Jubilar Calasâncio que nos foi concedido pela Sua Santidade, para comemorar o 400º aniversário da fundação da Ordem (em 1617) e do 250º Aniversário da canonização de São José de Calasanz. E, de forma mais especial, queremos agradecer por todas as mensagens profundamente evangélicas que propõe aos jovens e toda a sua preocupação com as crianças. Calasanz deu sua vida por eles, e nós nos sentimos absolutamente comprometidos a fazer o mesmo. As palavras de Sua Santidade enviam-nos para a Missão.

Fomos particularmente abençoados pela recente canonização de St. Faustino Míguez, Escolápio, fundador das Filhas da Divina Pastora. Foi um presente extraordinário para a nossa Família Calasância.

Queremos dizer-lhe, Santo Padre, que o convite que você nos fez, na sua Mensagem por ocasião do Ano Jubilar, para viver um "novo Pentecostes dos Escolápios" penetrou profundamente nas Escolas Pias e está sendo o fio orientador do Conselho dos Superiores Maiores que estamos celebrando. Pedimos sua oração e bênção para poder viver esse Pentecostes que, como o primeiro, nos pede comunhão, centralidade do Senhor em nossas vidas, acolhida ao Espírito e coragem na missão.

Rezamos todos os dias por Sua Santidade, pedindo ao Senhor para sustentá-lo e fortalecê-lo na missão que o confiou. Muito obrigado, Santo Padre.

Fonte: scolopi.org/Palavras do Padre Geral

No sábado, 11/11, aconteceu a 1ª Ação Solidária do Centro Social – Itaka Sera, um novo formato da tradicional Festa da Primavera. Realizada pelas Comunidades Paroquiais, com apoio do Centro Social e Fraternidade Escolápia, teve o objetivo de ofertar às famílias atendidas, acesso a alguns serviços e oportunizar o aprendizado e produção de artesanato para geração de renda. Foram disponibilizados atendimentos de corte de cabelo, aplicação de flúor, massagem e maquiagem, além de oficinas de artesanato, culinária, esporte e lazer. Para animar o evento, contamos com a participação musical da Banda JD2 e de nossas crianças e adolescentes, que apresentaram coral, balé, capoeira e break dance.
As famílias dos educandos aproveitaram a oportunidade, especialmente nas oficinas de artesanato, conforme relatou a mãe de uma criança: “Foi tudo muito lindo. Eu estava em casa triste e, quando cheguei aqui, me senti contagiada pelas oficinas e apresentações das crianças. Ainda aprendi a fazer peso de porta e tapete de pompom que vou usar para aumentar minha renda. Podia ter todo mês uma assim”. Os voluntários e oficineiros aprovaram a ação e a oportunidade de compartilhar conhecimento, conforme relatou Brisa Moreira (oficineira e mãe de educando do Centro): “É muito bom poder partilhar um pouco do nosso conhecimento e ajudar as pessoas”.
O destaque da Ação Solidária foram nossas crianças e adolescentes, que além de ser a maior motivação do evento, realizaram uma rifa, sorteada no evento, em favor da Missão Escolápia em Kamda.

Escolápios Brasil
Rua Armindo Batista Pereira, 13 - Fernão Dias
Belo Horizonte/MG - Brasil - CEP: 31910-400
secretariaprovincial@escolapios.org.br
55 (31) 3317-7426

Siga-nos nas redes sociais

Pesquisar